quinta-feira, 19 de Março de 2009

Antecedentes do Movimento Hippie


Há 50 anos atrás, na Inglaterra nascia o mais famoso símbolo da paz depois da pomba branca.
O símbolo não foi criado originalmente para esse fim. O designer Gerald Holtom criou o símbolo para uma marcha a favor do desarmamento nuclear unindo dois símbolos, utilizados para comunicação por bandeiras, um para "N" (de nuclear) e outro para "D" (de desarmamento), e o círculo representando o planeta Terra.
A ideia era dar a impressão de um homem em desespero com os braços estendidos.
Depois da Inglaterra, o símbolo foi parar aos EUA e daí se espalhou pelo mundo representando vários movimentos a favor da paz, desde a guerra contra o Vietname até a luta contra o Apartheid na África do Sul.
O símbolo já foi interpretado como uma pata de galinha, uma runa que simboliza a morte, um símbolo satânico por lembrar uma cruz invertida e quebrada; e foi utilizado como símbolo de uma marca de cigarros.
Hoje, ainda é utilizado em Inglaterra com o significado original de luta contra as armas nucleares.

Contudo, as raizes do movimento Hippie podem ser detectadas desde os anos 40, após os final da II Guerra Mundial: após um período de 30 anos com duas guerras altamente destrutivas e uma prolongada depressão económica, começaram a despontar sinais de um forte movimento de contracultura, contestatária do sistema. Ironicamente, esta contestação começava nos EUA, país que menos tinha sofrido com a guerra e num período em que a economia estava lançada na recuperação.
O poeta Allen Ginsberg pode ser considerado como um dos progenitores deste movimento. As palavras escritas foram usadas para exprimir a sua frustação, protestanto contra aquilo que consideravam estar errado no mundo, tendo ficado conhecidos como a "Geração Beat".
Nos anos 50 o movimento crescera e expandira-se. Nos café e clubes de jazz juntavam-se para conversar e declamar poesia. Foi destes espaços que emergiram os "Beatniks", caracteristicamente vestidoscom roupas informais, os homens de barba, usando óculos escuros a qualquer hora do dia. Usavam frequentemente a expressão "I'm hip". Dizia-se que o seu modo de se expressar era "hip", e havia quem lhe chamasse "Hipsters". A expressão ir-se-ia desenvolvendo até chegar a "Hippies".
Foram os hippies que trouxeram o movimento dos cafés para as universidades e a universidade de Berkley tornou-se na mais conhecida, e também polémica, devido a isto. Por exemplo, em 1964, devido ao Movimento pela Liberdade de Expressão, os responsáveis por Berkley proibiram a distribuição de material de protesto fora dos portões da universidade. O estudantes recusaram e a polícia foi chamada: a decisão de levantar processos aos estudantes levou-os a ocupar o edifíco principal da universidade. Em Março de 1965 os estudantes da Universidade de Michigan levaram a cabo a primeira acção com o objectivo de mostrar que a guerra do Vietname era imoral e que os EUA a deveriam abandonar.
O movimento estudantil contestava injustiças sociais tais como o racismo, a pobreza, inferioridade direitos das mulheres, a falta de liberdade de expressão. A guerra do Vietname começou gradualmente a ser contestada. Os protestos e manifestações tornaram-se frequentes, por vezes em confrontação com a polícia. Os incidentes mais grave ocorreram na Universidade de Kent, onde a Guarda Nacional disparou sobre manifestantes, matando quatro estudantes.

2 comentários:

  1. Muito fixe, podemos copiar algumas coisas para o nosso blog ?

    ResponderEliminar
  2. Muito bom esses texto! Me ajudou muito e foi divertido de ler! Obrigada aê..

    ResponderEliminar